Homem 2.0

Talvez esse é o ano que eu mais tenho visto o nome Deus e Família nos noticiários. Até cansou esse papo de Religião vs Politica, Religião vs Direitos Humanos e Religião vs Ciência. Tentar entender essa guerra é uma tarefa difícil. Quem sabe caiba pra um dos 12 trabalhos de Hércules! Acredito que um dos lados dessa guerra ia adorar que um deus grego resolvesse essa parada, porque eles são avessos apenas às religiões monoteístas surgidas no oriente médio. Porque tanto ódio quanto essas religiões e uma certa idolatria ao “paganismo” europeu ou aos cultos afros? Essa resposta não tenho! Talvez C. S. Lewis….

“Espanta-me que você ainda me pergunte se é mesmo essencial manter o paciente na ignorância quanto à nossa existência. (…) Nossa política, no momento atual, é de nos mantermos ocultos. (…) Tenho grande esperança de que, no devido tempo, aprenderemos como tornar a ciência dos homens emocional e mítica a ponto de passarem a desconfiar daquilo que na verdade é a crença em nossa existência (embora não sob esse nome) ao mesmo tempo em que suas mentes se mantêm fechadas para o Inimigo. A “Força da Vida”, a veneração do sexo e outros aspectos da Psicanálise podem ser bastante úteis nesse sentido. Se pudermos produzir nossa obra perfeita – o Mago Materialista, o homem que não apenas utiliza, mas que na verdade venera aquilo a que dá o nome de “Forças” ao mesmo tempo em que nega a existência de “espíritos” – . então saberemos que a batalha chegará ao fim.”

Cartas de um Diabo a seu aprendiz

Mas quero abordar outro ponto, porque tanto ódio dos “mais letrados” à religião?

Tudo isso começa em uma ideia surgida a uns 150 anos, a ideia que estamos evoluindo….

Antes de continuar meu argumento, preciso colocar uns pingos em uns is. Acredito na evolução. Acredito que na minha genética tenho antepassados que são os mesmo antepassados de um orangotango. Isso não entra em nenhum conflito com minha fé cristã protestante reformada! E não é esse ponto que quero discutir!

A grande questão é o tempo verbal: evoluímos ou estamos evoluindo?

O “estamos evoluindo” é o pressuposto comum entre quase todos acadêmicos materialistas do Brasil. O homem está passando de uma versão 1.0 para uma 2.0. Isso gera os atritos, as discussões, o ódio ao que significa ser o homem 1.0.

[tube]http://www.youtube.com/watch?v=aDaOgu2CQtI[/tube]

Mas o que seria esse homem 1.0?

Muitos defendem que o homem precisa tirar a roupa do velho homem: a religião, o misticismo, o ódio, o pre-conceito, etc… Acredito que nem esses próprios (homens evoluídos) sabem direito o que isso significa. Só sabem de uma coisa, precisamos aposentar o discurso conservador e tomar uma atitude mais progressista. É muito interessante observar as palavras que são usadas. Qualquer indicio de uma cosmovisão cristã significa ser conservador. Qualquer indicio de abolir coisas como certo-errado, ou a ideia de pecado, significa ser progressista. Fico me questionando: progresso de que? Significa que estamos trilhando um caminho?

A outra ideia é a que evoluímos. Nossa genética foi forjada como primata. Somos primatas. Mamamos, temos pelos (alguns muitos e outros poucos), temos necessidades fisiológicas, somos animais! Mas há algo que nos difere dos outros…

Definir o que é isso acredito que nenhuma ciência humana vai saber a resposta. Para um mero materialista, somos feitos da mesma coisa que um cachorro morto… isso explica porque damos mais valor aos animais do que à homens que não conhecemos.

Segundo a teologia cristã, há uma definição clara e pontual: imagem e semelhança de Deus. Isso nos difere de todos os outros animais (então não pense que você pode sair matando eles, a primeira ordem de Deus foi para você cuidar do jardim d’Ele!).

Então fico pensando com meus botões que sim, evoluímos e nossa genética continua evoluído. Vamos vencer a AIDS, câncer, diabetes, e outras doenças. Se não fizermos isso com um improve no nosso sistema imunológico, vamos criar drogas para isso. Mas isso todos os animais estão fazendo…. Em relação ao que nos difere dos outros animais, estamos ainda no Gênesis 3: a queda do homem!

Sempre fomos assim, sempre tivemos ódio, sempre tivemos diferenças sociais, sempre oprimimos outros homens. Sempre… Devemos assumir de quem é a culpa de todos os males que há na terra. Não é do Sistema Capitalista, um sistema não massacra o homem, homens massacram homens. A culpa não é da Religião, a religião não oprime o homem, homens oprimem homens. A culpa não é da politica, a politica não corrompe o homem, o homem corrompe a si mesmo. A culpa não é do dinheiro…. Como diria Homer Simpson, “a culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser”! Quer ler mais sobre essa ideia que sempre fomos o que somos, leia “O Homem Eterno” de G. K. Chesterton.

E aonde eu quero chegar com esse texto?

Minha geração tinha um sonho: mudar o mundo! Esse sonho é bobo! Nunca conseguiremos isso… Eu realmente acreditei nisso, mas agora vejo impossível. Já tinha desaprendido a sonhar, quando me voltei ao cristianismo. Achava que a caminhada cristã era esperar o céu, vivendo mediocremente na terra. Felizmente eu estava redondamente enganado!

A ideia de céu é uma coisa que só alcançamos quando deixamos a terra é uma ideia grega. Um judeu do primeiro seculo não era dicotomista, ele acreditava em um céu que vinha até a terra. Quem sabe um Reino, ou uma Cidade preparada desde o principio (Ap 21).

Depois refletindo, vi que nosso dito mestre foi embora e nos deixou uma ordem clara: vocês são meu reino! Esse reino já está implantado, e vocês tem que expandi-lo até a volta do Rei. E quando esse Rei voltar, o Reino será pleno!

Hoje eu estava pensando nisso, em quando minha geração perdeu esse sonho de mudar o mundo….

“Ele ganhou dinheiro
Ele assinou contratos
E comprou um terno
Trocou o carro
E desaprendeu
A caminhar no céu
E foi o princípio do fim”

Os Paralamas do Sucesso

[tube]http://www.youtube.com/watch?v=9JvSfIDNb4Y[/tube]

Cristianismo for Dummies: O Livro

Cristão eram chamados muitos anos atras (não lembro se na idade média pelos povos árabes) de o homem do livro. Sempre estava lendo e consultando um livro. Esse livro é a bíblia. Ainda hoje a bíblia continua a ser a regra de fé e pratica de todos os cristãos.

Mas se uma religião assim, tão divergente internamente, segue um livro só… Como se explica tanta divergência? Seria esse livro tão genérico que cada um interpreta como quiser? Os fundamentalistas que aparecem na TV seguem mesmo esse livro a risca? E os progressistas? Como eles leem esse livro?

Definições

Antes de qualquer discussões, quero definir aqui alguns grupos e como eles leem o livro:

  1. Ortodoxos: Na verdade ortodoxia significa leitura correta. Todos acreditam que são ortodoxos, mas levaremos em consideração O Livro. Então na nossa definição, ortodoxos são aqueles em que o livro é lido por inteiro. Não há textos fora de contextos, para cada conclusão, por mais simples que seja, teria que fazer algumas perguntas ao texto: Era isso que o autor queria dizer? O livro em questão me autoriza, a partir do contexto, a fazer essa conclusão? Há algum ensinamento em todo o Livro que me desautoriza essa conclusão? Feita essas três perguntas, a conclusão pode ser tomada… Seja ela qual for!
  2. Tradicionalistas: São bem parecidos com os Ortodoxos, mas antes de qualquer conclusão eles consultam a tradição. Frase que ouvi de um tradicionalista: “Eu tenho a mesma fé que meus pais tinham”.
  3. Fundamentalistas: São muito parecidos com os tradicionalistas, porém não são abertos ao debate. Se você está discordando de mim, você é uma ameaça para mim e a minha fé!
  4. Pentecostais: O Livro é uma ferramenta para o Espirito Santo me revelar a verdade.
  5. Liberais: O que é a verdade? O Livro contém a verdade… Mas ele não é a verdade. A verdade tem que ser extraída dele, filtrando as partes que acredito que não sejam a verdade.

Essas definições são próprias, podem ser que se pareçam com algumas utilizadas na academia, mas mesmo assim, como a palavra Ortodoxia significa doutrina correta, todos se afirmariam ortodoxos.

Essas  definições não são equivalentes as definições denominacionais! Um pentecostal pode ser liberal, como um Anglicano pode ser Ortodoxo. Um Batista pode ser Pentecostal, como  um Presbiteriano pode ser Fundamentalista.

A frase comum

Já é comum ouvirmos a comum frase: “você não pode levar esse livro ao pé da letra”. Seria essa frase correta?

Liberais

Se formos analisar do ponto de vista dos Liberais, eles já não levam ao pé da letra. Porque como letra não tem pé, eu decido que pé não existe em letra e logo essa frase não é verdadeira, seriam melhor extrai-la do texto! Um exemplo bastante comum de um liberal é um cara chamado Rob Bell. Ele escreveu um livro afirmando nos primeiros capítulos que não podemos construir argumentos baseados na bíblia, pois a mesma não é coerente… Então ele construiu uma “nova” (na verdade já velha) teologia, usando o livro que ele afirmava não poder ser usado para construir argumentos, para explicar que não há inferno e que todos seriamos salvos (isso é, se houver pós-vida)!

Estaria ele correto?

Acredito que não! Vamos analisar qual foi a falhar argumentativa dele! Primeiro para “provar” que a bíblia não era coerente, ele apresentou vários texto em paralelo, mas esses textos estavam fora de contexto. Ou seja, é como se eu pegasse duas frases e colocassem uma ao lado da outra, mas ignorasse aonde ela estava sendo dita! Muitos desses textos tinham contextos completamente divergentes. Ele ainda não foi honesto com a origem do texto, apresentou alguns textos como poesia que não eram poéticos, separando em versos frases que não deviam ser separadas. Assim podemos criar, com um texto apenas, inúmeros sentidos conflitantes.

Pentencostais

Muitos anos atras aconteceu um crime! A bíblia foi dividida em versos!!!! Provavelmente foi na época de Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutenberg. A intenção era apenas poder localizar facilmente um texto… Mas como toda invenção era facilmente utilizada para outro fim, acabou dando vida própria a cada verso! Assim a bíblia, que antes era formada de mais de 60 livros (há variações dependendo da tradição) passou a ser formada por milhares de versos.

Para os pentecostais quem é a autoridade máxima é o Espirito Santo. Mas quem certifica se a pessoa tem ou não o Espirito Santo? Essa é a grande questão. Todos os cristão (com exceção de alguns liberais) acreditam no Espirito Santo, mas eles divergem sobre como ele age e qual a sua finalidade. E o Espirito Santo revela o significado dos textos de acordo com a sua vontade!

Mas e se o significa for de encontro com o livro diz? Isso é possível? Muitos pentecostais preferem ficar com o que o “Espirito Santo” revelou, do que com a explicação de algum “irmão”.

Um texto que nos mostra perfeitamente o que é isso é o verso de Filipenses 4:13 “Tudo posso naquele que me fortalece”. Se eu te apresentar esse texto solto, você entenderá o que? Muitos acreditam que podem milagres! Que as portas do céus vão se mover de acordo com a sua vontade! Que nada é impossível para o cristão!!!!

Eu mesmo já acreditei nisso, devo confessar! Mas o que o autor dessa carta queria dizer para os leitores dela?

Se lermos os versos anteriores, vemos Paulo descrevendo as tribulações que passou na vida:

“Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade.” Filipenses 4:12

Dentro do livro, é impossível retirar outro significado do “tudo posso” que não seja: “posso aguentar qualquer tranco”. Aqui não há vitorias, mas significa que o autor podia aguentar qualquer derrota, pois ele era contente com quem dava alegria para ele!

Um amigo me alertou que a nova safra de pentecostais não leem a bíblia, apenas decoram textos falados por seus lideres. Esses vamos colocar na categoria manada!

É bastante comum, um pentecostal, ler um texto inteiro e retirar uma reflexão de apenas um verso.

Infelizmente, depois de muito tempo com pentecostalismo e puritanismo, para os versos mais conhecidos do Livro temos reflexões já prontas em nossos subconsciente que não equivalem ao que está escrito no livro como um todo. Somos treinados a ler esses textos com uma lente que na verdade não é a lente que o autor usava quando escreveu.

Fundamentalistas

Há bem claro dois tidos de fundamentalistas. Um que é extremistas na ideia. E outro que não quer mudar de ideia. Se chamarmos o Marco Feliciano de fundamentalistas, estamos atacando o segundo tipo, pois esse não lê os textos segundo as tradições. Ele lê como um pentecostal, e não dialogo por uma agenda própria.

O fundamentalista clássico lê os textos com as lentes dos pais deles, mesmo que existam evidências que esses textos tenham outras interpretações.

Essas leituras são bastante comuns no gênesis. E eles são os que ainda mantém o mito da criação, onde Deus é um magico que tirou o mundo da cartola, como estava antes de Darwin.

Há também outro ponto de discordância no mundo atual. Vemos nos Estados Unidos, qualquer intelectual cristão que tenha ideias que eles consideram esquerdistas são logo considerados hereges e excluídos do meio.

Esses fundamentalistas são os que defendem a escravidão como bíblica. Ou seja, se você ver alguém realmente dizendo que a bíblia defendia a escravidão, pergunte-se se o texto que a pessoa usa realmente dizia isso?

Tradicionalistas

Esses tem valores bem parecidos com os Fundamentalistas, mas eles suporta (a uma certa distancia) pensamentos divergentes. Uma coisa que vemos bem nos tradicionalistas é a defesa da liturgia.

O culto é como deveria ser. Ninguém pode questionar o culto! Muitos deles não se perguntam como os cristão do primeiro seculo (já que nessa época os apóstolos ainda eram vivos) cultuavam. A maneira correta é como cultuamos hoje!

Será mesmo?

Se formos pensar bem, no primeiro seculo não havia essa ordem litúrgica que há hoje. Não havia essa idolatração da música como unica forma de adoração. Ceia era um jantar comum. O vinho da ceia tinha álcool e era o suficiente para alguns ficarem embriagados. A ceia era um festa, e não um rito fúnebre… Ou seja, havia uma outra cultura cristã que hoje seria considerada ofensiva para quase todas as categorias de cristãos!!!

Ortodoxos

Aqui muitos vão me apedrejar! Quem possui a doutrina correta? Há verdade?

Se considerarmos que o Livro tem a verdade, vemos que há doutrina correta. E que ela não é defendida por nenhuma denominação dos dias de hoje!

Devo esclarecer que Ortodoxia não é um grupo, ou uma doutrina. Mas um padrão que considero inalcançável (mas que deve ser perseguido) nos dias de hoje. Ela só seria real, se conseguirmos (e com certeza não conseguiremos) extinguir o pecado de nossas vidas!

Nas cartas de Paulo, ele manda as mulheres de Corintos não falar em publico, para não se assemelhar as prostitutas da cidade. Mas ele envia uma carta à uma mulher em outra cidade, que seu marido era submisso a ela!

“Saudações a Priscila e ao seu marido Áquila e também à família de Onesíforo.” II Timóteo 4:19

Como podemos defender a ideia de submissão feminina com um trecho como esse? Em nenhum outro ponto Paulo repreende Priscila por ela “inverter a ordem”.

Os cristãos são comumente taxados de serem contras direitos trabalhistas e de reformas estruturais no sistema capitalistas. Mas se formos ler as leis do antigo testamento, vemos perdão de dividas, reforma agraria, obrigatoriedade do cuidado com o mais humilde. E nenhum desses são ideais comuns em nossos meios eclesiásticos!

Pequenos Cristos

Cristão foi uma denominação dada aos judeus que seguiam Jesus Cristo, e significa pequenos Cristos. Então, se formos pensar bem, um cristão deveria agir de forma semelhante a quem ele consideram o Mestre. E isso está especificado no Livro.

Termino com um vídeo do Pondé….

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=zh4gpxMjMic[/youtube]

E fica a questão: No que ele incomodaria hoje? Acredito que ele incomodaria todos as classes. E só seriam considerados Ortodoxos uns poucos cristãos, que hoje em dia seriam considerados loucos!

A resposta é a diferença entre Elfos e Homens

Domingo de manhã já acordo com o peso na consciência de não estar na igreja. Isso tem sido rotina em minha vida, mas desde que comecei a ler e estudar sobre teologia, a EBD tem sido enfadonha. A maioria dos nosso professores criam o conhecimento do nada. Eles estão embalados pela “nova” doutrina do Espírito Santo, ressuscitada no século XX, de que não é necessário a capacitação, o espírito trará o conhecimento. Bom, não concordo muito com isso (também não discordo totalmente), ainda fico com os muitos anos que Paulo ficou na “geladeira”, com os 30 anos (na verdade foram bem mais) que Jesus esperou para começar seu ministério. Resumindo, quem se dedica a estudar consegue ver com mais clareza.

E é clareza que falta no domingo pela manhã no facebook! Antes de continuar o texto, vou-lhes mostrar o vídeo que vi!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=VkCOGHOMsxM[/youtube]

É impressionante acreditar que isso é um debate de dois pontos de vista. Tento com todas minhas forças ver assim, mas no fundo é um debate acalorado sobre a fé irracional de dois grupos distintos de materialistas! Consegue ver assim?

Explicando…

Vamos com calma! Alguns anos atrás eu também não entenderia. Mas é preciso colocar em pratica aquilo que lemos, aplicar na nossa vida cotidiana, renovando a mente.

Primeiro quero definir o que é materialismo, depois eu chego nos Elfos! Desculpe-me por usar a wikipedia, mas não acho justo ligar para meus amigos das Ciências Humanas e Filosofia domingo pela manhã….

Da wikipedia, Materialismo é:

Em filosofia, materialismo é o tipo de fisicalismo que sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações materiais; que a matéria é a única substância.

Não sei se é possível compreender a definição, mas o que ela diz é que um materialista acredita que tudo é matéria e não há nada além da matéria.

Pensando sobre esse assunto e analisando nossas aulas de EBD, vejo que muitos dos nossos professores são essencialmente materialistas. Acreditam em um deus, mas o colocam como matéria. Não quero lhe forçar minhas convicções sobre esse assunto, prefiro que você chegue as suas próprias conclusões, analisem o que ouvem.

Mas voltando ao vídeo. Se analisarmos bem, os dois lados são materialistas. O pastor e o padre preferem desmerecer o texto bíblico a rebater o argumento do ateu. Porque isso? Porque TODOS eles acreditaam que a morte é o fim de tudo! Se pensarmos que a morte é o fim de tudo, acreditamos que tudo é material, e quando acaba a matéria acaba tudo! Mas será assim mesmo? Se Deus me levar hoje, isso seria extremamente triste pra minha namorada, e para minha família. Mas e do ponto de vista d’Ele? Isto seria um ato de maldade?

Seria muita pretensão minha responder essa pergunta, temos 20 seculos de pensadores cristão que deve ter, em algum momento da vida, pensado sobre isso. Com certeza, eles tem respostas melhores que a minha! Por isso escolho J. R. R. Tolkien, que apesar de não ter escrito teologia como teologia, deixou ela clara na sua obra. Só trocarmos os nomes e vemos que o que ele fez foi aplicar sua leitura da bíblia em uma pseudo-mitologia. Em O Silmarillion ele explica bem a questão materialista:

Inclui-se, nesse dom de liberdade, que os filhos dos homens permaneçam vivos por um curto intervalo no mundo, não sendo presos a ele, e partam logo, para onde, os elfos não sabem. Ao passo que os elfos ficam até o final dos tempos, e seu amor pela Terra e por todo o mundo é mais exclusivo e intenso por esse motivo e, com o passar dos anos, cada vez mais cheio de tristezas. Pois os elfos não morrem enquanto o mundo não morrer, a menos que sejam assassinados ou que definhem de dor (e a essas duas mortes aparentes eles estão sujeitos); nem a idade reduz sua força, a menos que estejam fartos de dez mil séculos; e, ao morrer, eles são reunidos na morada de Mandos, em Valinor, de onde podem depois retornar. Já os filhos dos homens morrem de verdade, e deixam o mundo, motivo pelo qual são chamados Hóspedes ou Forasteiros. A morte é seu destino, o dom de Ilúvatar, que, com o passar do tempo, até os Poderes hão de invejar. Melkor, porém, lançou sua sombra sobre esse dom, confundindo-o com as trevas; e fez surgir o mal do bem; e o medo, da esperança. Outrora, no entanto, os Valar declararam aos elfos em Valinor que os homens juntarão suas vozes ao coro na Segunda Música dos Ainur: embora Ilúvatar não tenha revelado suas intenções com relação aos elfos depois do fim do Mundo; e Melkor ainda não as tenha descoberto.

Bom, se você ainda não entendeu vou deixar mais claro. A morte é um dom que nos liberta para verdadeira vida! Então esse argumento bobo de que Deus é mau por ter matado muitos na história é falho. Não deveríamos questionar as mortes, mas o nosso julgamento de valor sobre elas. Deus ter matado crianças no antigo testamento faz dele mal?

Para os ateus, e sua visão limitada ao materialismo sim! Mas para o cristão, que além de acreditar em tudo que um materialista acredita e mais no sobrenatural, não! Tudo depende da sua cosmo visão, mas o que vemos  no vídeo são dois grupos com pessoas que possuem a mesma cosmovisão: tudo se limita ao material!

Expandindo o argumento

Ainda dá para pensarmos mais sobre materialismo. Outro dia saiu uma noticia na Folha sobre uma entrevista em que Richard Dawkins afirmava “Não devemos respeitar crenças contrárias ao consenso científico“. A grande questão é: o cristianismo é contra o consenso científico?

Primeiro devemos limitar o que se refere o consenso científico. A ciência é um método para validar conceitos materiais. Ela não se aplica ao imaterial! Até mesmo os estudos recentes da física moderna, sobre a matéria e sua relação com a energia, são conceitos desse mundo  material.

Mas devemos lembrar que Dawkins é um biólogo, provavelmente ele está falando da evolução, logo vamos partir pra biologia.

Deus me deu o privilégio de, por meu esforço próprio, ficar 6 anos (e ainda moro ao lado) em uma das maiores universidade do Brasil. Há grandes pesquisadores fazendo e pensando ciência poucas quadras da minha casa. Convivi também com o conceito de universidade, ao contrário de muitos dos meus amigos estiveram em uma universidade, mas não fizeram nenhuma matéria fora do currículo base deles. São engenheiros, filósofos, advogados. Eu pude dialogar e conviver (muitas vezes por morar juntos, pois tive que sair da casa dos meus pais e morar com até 17 pessoas em uma casa!) com pessoas de outras realidades acadêmicas. E fui obrigado a fazer matérias de todos os ramos do conhecimento.

Meus diálogos com pessoas da biologia foi muito proveitoso, pois pode observar que existem biólogos cristãos evolucionistas que acreditam no Gênesis exatamente como ele está escrito!

Então Moisés e Darwin são brothers?

É tudo obra de alguém que conhece todos os processos? Ou de um grande mágico?

É tudo obra de alguém que conhece todos os processos? Ou de um grande mágico?

Sim! A minha conclusão sobre conviver com muitos biólogos é que se olharmos cientificamente e culturalmente para o Gênesis, vemos a descrição da evolução, conforme é creditada pela ciência, descrita por Moisés. Lembre-se que Moisés era um pastor de ovelha que viveu no Oriente Médio no século XV antes de Cristo!

Essa afirmação pode parecer bombástica, mas não é! O grande problema é que a maioria dos nosso pastores e teólogos não estudam biologia. A maioria dos nosso biólogos criacionista estudam biologia apenas para provar que Darwin estava errado. E a maioria dos nosso biólogos evolucionistas ateus, estudam biologia com intuito de provar que deus está errado. Todos esses grupos tem interesses bem definidos e num deles está atrás do que realmente aconteceu, mas apenas quer desmascarar outro grupo!

Se usarmos a abordagem de diferenciar o materialismo no argumento, da mesma forma que usei com o vídeo, podemos observar ao que o argumento materialista se propões e ao que o argumento cristão se propõe.

Darwin quis descrever como o mundo materialmente foi criado e como as espécies evoluíram. Se ele era materialista ou se seus discípulos são materialistas, estes devem se ater ao argumento materialistas! Se há evolução, ela é prova de que não existe Deus? Não!!!

Os cristãos devem acreditar no argumento materialista, pois ele explica a matéria.  Mas devem crer que suas crenças vão além da matéria. Sim! Pode ter existido Evolução, Big Bang, etc… Mas e se tudo isso foi confeccionado e arquitetado por uma inteligência superior? Por um Deus? Essa é a resposta do cristianismo aos Elfos que não tem uma perspectiva de vida acima do sol.

Mas infelizmente muitos dos nosso professores são materialistas…

Seria Deus a imagem de um velho Xamã?

Seria a imagem de Deus um velho Xamã?

Se perguntarmos: Como é Deus? Muitos desenharão um senhor idoso com cara de bonzinho. Isso somente prova que somos materialistas. Podemos desenhar Deus? Podemos limitar ele a uma representação carnal? Até podemos, mas aquilo deixará de ser Deus ser será uma representação de Deus!

Aí podemos pensar: “Mas somos feitos imagem e semelhança d’Ele“! Sim, concordo absolutamente com a afirmação. Mas não sou materialistas. Não acredito que Deus tenha duas mãos, até porque todo e qualquer homem que não tenha um braço (e olha que já vivi alguns meses com essa perspectiva) não será a imagem de Deus. A grande questão é: Qual a imagem de Deus no homem, visto que somos muito mais do que apenas carne?

Quem escreveu o Gênesis caminhou pela terra durante a criação. Ao lado de Deus quanto ele explicava: “Vimos que tudo era belo”! Há uma grande afirmação teológica aqui que é supra-material e não é levado em conta, nem pelos materialistas e nem pelos criacionistas! Deus é único e plural sem se contradizer! Não estou dizendo que ele é esquizofrênico! Estou dizendo que ele tem a capacidade de ser relacionar consigo mesmo e ser um ao mesmo tempo que é Criador (Pai), Salvador (Filho) e Consolador (Espírito Santo) ao mesmo tempo!

Muitos de nós não pensamos sobre isso. Aceitamos que Deus é trino. Aceitamos que Deus tem duas orelhas. Mas Deus tem duas orelhas? Questionar sobre o que é ser imagem e semelhança, é errado? Questionar é aceitar ter uma fé fraca?

Questionar não é uma falha de fé! Questionar é ter a fé de que das dúvidas há uma resposta lógica. Uma resposta que além da razão ela será respondida com a  fé. A Fé e a Razão nunca deve estar em lados diferentes de um ringue. Elas devem estar no front de batalha contra a dúvida. Se ficarmos com a duvida é porque não temos fé que a nossa Fé possa responder nossas dúvidas!

Mas e a reposta?

A reposta pra imagem e semelhança está na conjugação do verbo e não no verbo!

Deus não é UM velhinho! Deus é um Criador que se relaciona com um Consolador e com um Filho. E que criou o homem e deu a ele o poder de se relacionar, de criar, de consolar e de precisar ser consolado! Deu nos o poder de ser como Deus! E que o homem escolher ser igual a Deus, de conhecer o bem e o mal. Escolheu a cada dia praticar humilhar o próprio Deus humilhando a imagem dele no homem.

Esse argumento os ateus não conseguem racionalmente explica: a origem do mal, e porque o homem busca o bem….

Deixo em aberto, porque há mais perguntas que respostas…

Se Deus gostasse só de música gospel, dava talento só para os cristãos

crianca-musica

Nem minhas melhores piadas, nem as charges mais polêmicas, nem meus textos mais sérios foram tão compartilhados, comentados, retwittados pelos terrákios e habitantes de todo universo e adjacências. Gosto disso! Meu ministério é fazer os outros pensarem.

Uns acharam o máximo e outros desempoeiraram suas bíblias pra achar um texto que revertesse a intenção da frase. Logo vieram as ilustrações:

– “Já pensou nos anjos cantando Camaro Amarelo?”
– “O mundo jaz no maligno.”
– “Cuidado com a heresia…”

Uma das maiores raivas de certos evangélicos é que Deus trata todos igualmente. Meus “primos” presbiterianos dão cambalhotas lembrando com alegria o que Calvino chamava de Graça comum. Isso mesmo! Deus dá o mesmo sol para todos. Libera oxigênio igualmente, mesmo que os narigudos queiram consumir mais que os outros. E talento também.

Deus deu talento para Djavan da mesma forma que deu para Sérgio Pimenta. Deus deu talento para Latino da mesma forma que deu para… Ah, deixa pra lá. Deus é tão bom que, até para quem não deu talento, deu oportunidade de mostrar suas criações artísticas.

Mas nós evangélicos confundimos tudo. Achamos que se alguém não adora a Deus não tem talento, ou mesmo que tenha, o talento dela não deve ser “consumido” por nós crentes.

Mas isso só vale na música e na dança. Se for literatura, poesia, fotografia, cinema, arquitetura, etc., a galera não pega muito no pé:

– “Oscar Niemeyer , ah esse foi um gênio!”
– “Drumond? Maravilhoso!”
– “Fernanda Montenegro? A Diva do Brasil!”
– “Fred Mercury? Um gay dos demônios!”

Já pensaram que quando é em relação à música é batata? Muitos pensam que só é bom o louvor e a adoração e quem o faz. Aí temos as distorções.

O cara faz qualquer tipo de letra, acaba com o dicionário de acordes, ousa no máximo rimar amor com dor, mas é evangélico: pronto! É praticamente canonizado em cima dos seus milhares de CDs vendidos.

CONFUSÕES

Adoração não é música. Assim como adorador não é quem canta. Louvor não é música. Assim como quem louva não é quem canta. Adoração e louvor são intenções de um coração rendido.

Vamos ilustrar para não ficar tão confuso. Quando a viuvinha da bíblia deu todos os seus trocados, a adoração não foram as moedas (Lucas 21:2). O que valia era o coração. Quando a ex-Garota de Programa de Lucas 7 derramou o perfume aos pés de Jesus, ele pouco ligou para como o perfume foi comprado pela mulher. Ele se importou com o coração.

Adoração não é moeda. Não é perfume. É coração. Então não se pode dizer que música é adoração.

DISTORÇÕES

Se nós passamos a achar que a música evangélica é a única que Deus gosta e por consequência a única que devemos gostar, então devemos levar isso para todas as áreas da nossa vida.

Se você acha que só o talento do seu irmão é válido, então passe a consumir somente livros cristãos, filmes cristãos, ande só com roupas desenhadas e costuradas por cristãos, ande somente em carros fabricados por cristãos e vibre só com gols feitos por atletas cristãos, num gramado regado por cristãos, num estádio projetado e construído somente por cristãos. Lembrando a mesma regra que você criou para a música, se você consumir alguma arte ou coisa que não seja de origem cristã estará pecando.

 

QUAL TIPO DE MÚSICA QUE DEUS GOSTA?

É meio difícil definir o que Deus gosta não é mesmo? A não ser que tentemos refletir Nele algo que nós gostamos. Por isso existem tantos pastores, líderes e cristãos comuns contestando vários estilos musicais (e em 100% dos casos são os mesmos estilos que eles não gostam).

Podemos observar uma coisa sobre o caráter de Deus. Ele gosta de coisas boas, criativas e perfeitas. Foi assim quando ele terminou sua obra na criação da Terra dizendo: Ficou muito bom! Foi assim quando ele aprovou o sacrifício de Abel porque tudo dele era de primeira.

Posso pensar então que quando uma música é bem construída, tem excelência em sua abordagem, tem melodia e harmonia sensacionais e um conteúdo perfeitamente elaborado, Ele deve gostar.

A frase que gerou tantos comentários era subliminarmente para isto: Nós como cristãos não podemos achar que qualquer coisa que criamos vá fazer com que Deus se agrade pelo único falto de levar o rótulo gospel, ou cristão, ou evangélico. Nem podemos achar que qualquer coisa criada fora do nosso gueto é desprezível e não presta.

Usemos nosso talento para produzir coisas grandiosas. Abra mão dos rótulos, deixe que sua arte defenda sua criação. E pare chamar música de adoração! Música é só música!
Ruben Mukama (Um cara que ouve de tudo e que retém só o que é bom!)

Site: http://www.rubenmukama.com/

Texto originalmente publicado em Portal Conectar.

Lacey Mosley está fora da Flyleaf!

E a banda Flyleaf anunciou em seu site oficial, que Lacey Mosley está fora da banda! A declaração pegou de surpresa alguns fãs da banda que esperam ansiosamente pelo novo trabalho. O single New Horizons que ganhou um bonito clipe, agora será entoado por Kristen May, vocalista da banda Vedera(?).

“Fico feliz por saber que eles podem fazer o que desejam e que há uma garota bonita e talentosa, de coração aquecido chamada Kristen May para cantar para eles. Por isso vocês poderão ver uma nova Flyleaf nos palcos e apoiar o novo álbum.”

De fato Lacey está certa. Uma nova Flyleaf vem aí. Principalmente se levarmos em consideração o estilo de música que a Vedera faz.

De acordo com a nota emitida por Lacey, sua saída se deve ao fato de querer estar mais presente na vida de sua família. “Estou muito agradecida por recentemente ter me tornado a mãe de uma das maiores bênçãos em minha vida, meu filho Jack. Vocês provavelmente ficaram sabendo que há pouco tempo perdemos nosso brilhante engenheiro de som Rich Caldwell, num terrível acidente de carro. Agora, mais do que nunca, eu entendo a frase Memento Mori. Eu entendo que, pra mim, viver minha vida ao máximo por essa temporada significa deixar de ser a vocalista da Flyleaf. (…)Enquanto eu dou um primeiro passo numa nova jornada, eu oro para que cada um de vocês possa correr atrás do seu mais alto chamado numa entrega sem medidas também, sabendo que às vezes a plenitude da vida vem quando você faz coisas que só são entendidas por você, Deus e as pessoas especiais que Deus colocou na sua vida e que realmente te amam…”

Você pode conferir na integra (em inglês) tanto a nota da banda, quanto a da Lacey no site oficial da Flyleaf http://site.flyleafmusic.com/

A banda possui 2 discos cheios. O homonimo Flyleaf de 2005 e Momento Mori de 2009. Fizeram parte da trilha sonora do filme Resident Evil 3, com I’m so Sick e teve suas músicas nos games Guitar Hero (Tina) e Rock Band (I’m so sick).

 

Segue abaixo o vídeo de New Horizons e a canção Loving Ghost da banda Vedera!

 

New Horizons – Flyleaf

[youtube]http://youtu.be/AptjnW0Erqo[/youtube]

 

Loving Ghost – Vedera

[youtube]http://youtu.be/7J05wd80mlk[/youtube]

Mumford & Sons e a arte de adorar sem “adorar”

Por Eduardo Mano

 

Capa do disco Babel

Os ortodoxos ficarão de cabelos em pé. Mas vamos lá.

Mumford & Sons se tornou minha banda favorita, junto ao Fleet Foxes, há uns dois anos atrás, com o lançamento do disco Sigh no More. Foi amor à primeira vista. Após dois anos (e mais de um ano de produção), eles lançarão, no dia 24 de setembro, seu mais novo disco, Babel. E aqui eu vou dizer algo que vai deixar alguns amigos meio #chateados comigo.

Este é um dos melhores discos do ano, e um dos melhores discos cristãos do ano.

Marcus Mumford, para quem não sabe, é filho dos líderes nacionais para o Reino Unido e Irlanda da igreja Vineyard. Cresceu, portanto, em um lar cristão. Isto fica óbvio em suas letras, que em alguns casos, não deixam dúvidas se estão sendo cantadas para Deus ou para a namorada (ao contrário de alguns cânticos made in Brasil).

Alguns exemplos de letras que deixam isto claro estão nas músicas “Awake my Soul”, do primeiro disco, Sigh no More (onde lemos “awake my soul, for you were made to meet your Maker” / “desperta, ó minh’alma, pois você foi feita para encontrar teu Criador”) e Whispers in the dark (onde ele canta, “sou um canalha, mas não sou perfeito / propus-me a servir ao Senhor), Below my Feet (“eu estava parado, estava sob seu feitiço quando Jesus me disse que tudo estava bem, então tudo deve estar bem”) e outras… há muitas referências, tanto diretas quanto indiretas.

Mas há uma música que me chamou a atenção. “I Will Wait”, Eu Esperarei, em português.

A letra em inglês você encontra neste link , e abaixo vou colocar a minha tradução interpretada da mesma. Não creio que esteja errada.

 

Eu Esperarei
E eu cheguei ao Lar, e pesado como uma pedra, cai em Teus braços. Estes dias de deserto pelos quais passamos serão levados por este novo sol.

Eu me ajoelharei, esperando este momento. Eu me ajoelharei, e saberei onde estou firmado.

E eu esperarei, eu esperarei por Ti. E eu esperarei, eu esperarei por Ti.

Então mude meus passos e tenha compaixão de mim; Você me perdoou, e eu não esquecerei disto. Sabes o que vimos, e com muito menos, de alguma forma, tiras todo o excesso.

E eu esperarei, eu esperarei por Ti. E eu esperarei, eu esperarei por Ti.

Então eu serei firme, e também forte, E usarei minha cabeça junto ao meu coração. Então toma a minha carne, e dá-me novos olhos, mantenha minha mente cativa e livre de mentiras.

Eu me ajoelharei, esperando este momento. Eu me ajoelharei, e saberei onde estou firmado.

Ergo minhas mãos, pinte meu espírito de ouro. Eu curvo minha cabeça, mantenha meu coração desacelerado.

Pois eu esperarei, eu esperarei por Ti. E eu esperarei, eu esperarei por Ti.

 

Traduzir uma canção é algo ingrato. Mas às vezes somos impactados por um senso de grandeza e profundidade que excede aquilo que consideramos comum e ordinário, e o próprio Deus vem e fala conosco. Muitas vezes ele fala na brisa suave da tarde, mas às vezes, sim, ele usa Tempestades. Esta música soou como uma tempestade para mim.

Quem me conhece sabe que não sou destes que procura espiritualidade em tudo, desde filmes a músicas do U2 e Coldplay, mas às vezes, o Espírito nos testifica que há algo para além de nossos olhos em algumas coisas, e isto é para a glorificação de Cristo, e não para a vaidade humana. E isto é adoração. Mas no caso do Mumford & Sons, é adoração sem ser adoração, ou o que a mídia fez dela.

Tu me perdoaste, e eu não esquecerei.” De fato Cristo, não esquecerei e nem desdenharei do que fizeste por mim.

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=rGKfrgqWcv0[/youtube]