Møldar e Diego Marins

MøldarAs vezes ouvimos um álbum, gostamos, mas logo a demanda por outro álbuns lançados (ou pela simples falta de tempo) faz com que deixemos eles de lado.

Semana passado estava ouvindo Confessional do Diego Marins, quando um amigo pediu um depoimento de algumas linhas sobre o álbum da banda dele.

Depois de uma semana altamente corrida, sentei em casa, liguei o som e voltei a ouvir O Fim da Espera do Møldar. Já tinha ouvido o álbum, mas queria ouvir novamente.

Uma vez um critico falou que boas letras são feitas quando pessoas falam de coisas reais. E é assim que os caras da Møldar começam o álbum. Em uma boa música fala de um relacionamento cada vez mais distante, mas isso não tira o desejo de fazer esse relacionamento dar certo. Mesmo que doa. Mesmo que o chá esfrie. “A Mesa e a Distância” é uma ótima letra e uma ótima música.

Todas as outras letras apresentam situações da vida de um homem. Problemas, anseios, fé.

A outra letra que muito me marcou foi Espinhos Entre as Flores. Viagem. Som. Amor. O verso “Veja devagar, tem espinhos também” mostra que não é a voz de uma criança (como 99,9999% dos compositores teimam em ser, prometendo amores irreais). Não são versos soltos, pintam uma cena. Quase uma foto. Uma certa sinestesia.

O som também revela a idade dos compositores. Há um cheiro de rock alternativo anos 90. Ponto positivo!

Vale a pena conferir.

ConfessionalO outro álbum Confessional foi o ultimo (ou primeiro) lançamento do selo que o Eduardo Mano criou, o Velhas Verdades Discos. Voltado para discos com verdades bíblicas, e repudiando aquela baboseira de cultura gospel que usa a bíblia apenas para referencias esparsas, mas nega suas verdades com um mundanismo pungente.

No álbum, belas músicas. Belas letras. Algumas músicas lembram as melodias tipicas dos hinários cristãos. Musicas que você talvez não goste pelo tradicionalismo, mas não pode esquecer as verdades que estavam escritas ali. Talvez você veja um “Asa Branca” coroando o Folk e nos lembrando que nosso folk é o baião. O álbum segue bem a linha musical que o Eduardo Mano estava colocando nos seus álbuns, violões e boas melodias.

Vale a pena conferir. O álbum está gratuito aqui.

Quem venham mais trabalhos assim!!!!

Bandas que você precisa ouvir #2 – Mattina, Karmel e Banda Bistrô

Estamos de volta com a seção Bandas que você precisa ouvir. E hoje quem vai falar sobre as bandas, são as próprias bandas. Abaixo o release disponibilizado por cada banda.

 

E é de Mantena / MG que vem a primeira banda. Mattina!

Mattina_DaJanela_imprensa02A banda é formada por André Rigamonti (teclados), Bruno Magalhães (baixo), Douglas Rigamonti (voz), Matheus Soares (bateria) e William Ferreira (guitarra). Todas as músicas e letras do álbum “Da janela” são de Bruno Magalhães e os arranjos são feitos em conjunto.

Entre as varias influências da banda se destacam o som do Maglore, Transmissor, Palavrantiga, Brooke Fraser, Incubus, Jars of Clay, Third Day, Skank, Michael W. Smith, Resgate, Sixpence, Steven Curtis Chapman, e outras mais. A diferença de gostos e tendências musicais dos integrantes, que vai do hard rock do William até o pop do André, gera uma tensão criativa interessante que resulta na sonoridade da banda.

O álbum “Da janela” foi gravado no Studio RDO, em Barra de São Francisco – ES, por Júnior Diniz, em 2012 e finalizado no início de 2013. É o segundo álbum do grupo, que já havia lançado em 2011 o EP “Quando a noite se for”.

O Mattina é “manhã” em italiano. O nome se origina do Salmo 30:5b (O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã). É essa mensagem de alegria e esperança que a banda inspira as canções do grupo e os motiva a buscar viver o que cantam e cantar o que vivem.
Você pode ouvir e adquirir o álbum da banda através dos links abaixo:

Itunes – https://itunes.apple.com/br/album/da-janela/id624041552
Onerpm – https://onerpm.com/#/disco/album&album_number=490273354
Youtube – https://www.youtube.com/playlist?list=PL4-XfCaG69n6LhjFr57hscEhjkZG9nVH8
Facebook – http://www.facebook.com/mattinaoficial

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=LXE1e8P6OLQ&feature=share&list=PL4-XfCaG69n6LhjFr57hscEhjkZG9nVH8[/youtube]

 

Karmel

karmel

Mãos levantadas, pessoas cativas, muitos gritos eufóricos e suspiros. Esta nunca foi uma ambição ou ao menos, o esperado. Mas algo constante, desde as primeiras apresentações espontâneas da Karmel.

Desde sempre, podemos ver pessoas com gostos musicais, atividades, projetos e bandas diferentes, porém, foi naturalmente que acabamos nos deparando com músicos que mesmo com todas estas atividades, se destacavam por apenas duas coisas: o amor pela música e pela vida. As reuniões de amigos e participações em outras bandas, canções aparentemente cantadas ao vento, e muitas alegrias, trouxeram a tona este projeto.

A banda que leva o nome derivado do monte onde existiu um antigo altar e a contenda entre Elias e os profetas de Baal, ou a cidade na parte montanhosa de Judá, cujo nome do hebraico nos traduz “jardim divino”, tem apenas um único objetivo: expor através de sua música um desabafo e um alívio para as pessoas ao redor, continuando a cativar quem precisa ouvir.

Formada por Victor Matheus, Alison Motta, Lukão Ribeiro e Dudu Oliveira, a Karmel lançou no final de 2012 seu primeiro single “O Vento”, já com uma pequena repercussão nacional e internacional, e recentemente lançou o lyric vídeo do seu novo single “Deixe Voltar”. Atualmente a banda prepara-se para lançar seu primeiro álbum no segundo semestre de 2013.

www.karmel.com.br

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=nl7P2256mCw[/youtube]

 

Banda Bistrô

Formada por quatro integrantes, a banda Bistrô surgiu em um dia de descontração e divertimento entre amigos, descobriram um talento musical único. As junções do som do violão e de poemas de própria autoria trouxeram a inspiração para se aventurarem no mundo da música.

bistro

A banda produz sua música com a intenção de compartilhar sentimentos, e envolver quem as escuta.

Com muito trabalho e dedicação, a banda apresenta, seu primeiro projeto: Por Que Não? Que é a definição do desejo de se arriscar, sonhar e acreditar em você. O álbum que será lançado no final do mês de novembro é a síntese dos sentimentos vividos por seus integrantes, que transformados em música, demonstram seus desejos e anseios.

Acesse e curta o Facebook da banda Bistrô e baixe o cd da banda completo e sem restrições.

http://www.bandabistro.com.br/

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Zm4MZizy_pU[/youtube]

 

Então é isso. Essas bandas são novidades pra você, tanto quanto pra mim. rs. Ainda estou escutando bem e conhecendo. Mas é bem legal ver cristãos fazendo uma arte relevante, sem rotulos e pra quem quiser ouvir.

Se você tem uma banda e quer mostrar pra todos, entre em contato através do e-mail contato@www.underdot.com.br

Grande abraço.

@phields

Global Project – Hillsong + Diante do Trono

Fonte: Diante do Trono

Adoração traz unidade ao Corpo de Cristo. Por meio dela, barreiras culturais e diferenças de idiomas são dissipadas, e o foco é totalmente direcionado para Deus. Nossa língua é mais do que uma forma de comunicação, ela está fortemente conectada à nossa cultura e origens; portanto, ligada à nossa identidade. Há poder quando um adorador se conecta com Deus na sua língua nativa. Esse é o coração e a visão do Hillsong Global Project, nos ajuntar àquilo que Deus já está fazendo ao redor do mundo, incluindo o mundo lusófono e coletivamente exaltar o nome de Jesus.

Um dos valores da Hillsong Church é o de defender a causa das igrejas locais, em todos os lugares. Esta é uma paixão local e global que tem conduzido todos os aspectos do ministério da Hillsong desde o começo.

O Hillsong Global Project é a junção de forças entre Hillsong e suas igrejas locais ao redor do mundo e outros ministérios internacionais, gravando nove álbuns, em nove línguas diferentes. Todos os nove  incluirão algumas das mais queridas canções da Hillsong e o lançamento será simultâneo ao redor do mundo.

As línguas que estão incluídas são:

Espanhol (com Marcos Witt, Alex Campos, Marco Barrientos, Marcela Gandara) Português (com Diante do Trono – Brasil) Coreano ( com equipe de louvor da JOCUM Coreia) Chinês ( com New Creation Church – Cingapura) Indonésio (com JPCC Worship – True Worshippers) Francês (com Hillsong Church Paris) Alemão (com Hillsong Church Alemanha) Sueco (com Hillsong Church Estolcomo) Russo (com Hillsong Church Kiev)

Para o lançamento em Português do Hillsong Global Project, a igreja fechou uma parceria com  o Diante do Trono, grupo de louvor da Igreja Batista da Lagoinha de Belo Horizonte -MG.  Ana Paula Valadão e equipe gravarão 12 canções da Hillsong, traduzidas para o português. Além dessas canções, o CD incluirá três faixas bônus, originais do DT.

Hillsong Global Project – Capacitando a igreja local, globalmente.

Depoimentos:

“Nós existimos para defender a causa da igreja local, em todos os lugares”  (Brian Houston, Pastor Sênior da Hillsong Church).

“Há algo muito poderoso em cantar uma canção na sua própria língua” (reuben Morgan, Pastor de Adoração da Hillsong Church Austrália).

“Para nós é incrível o fato de podermos nos unir e exaltar o nome Dele. Barreiras da língua não são um problema” (jonathon “JD” Douglass, líder de louvor do Hillsong UNITED).

“O Hillsong sempre foi uma inspiração para mim. Além de trazer ao Corpo de Cristo, no mundo inteiro, canções maravilhosas de adoração ao Senhor Jesus, ele é parte de uma igreja local e com isso me identifico muito. É uma alegria enorme fazer parte deste projeto global e ter o Brasil representado nesta comunhão entre tantas nações que estão participando” (Ana Paula Valadão Bessa, Líder de louvor do Ministério Diante do Trono e pastora da IBL).

Fonte: Diante do Trono

2 mil Km para deixar a preguiça de lado

Nos últimos dias, devido a compromissos profissionais e também para visitar queridos amigos, eu rodei quase 2 mil Km de carro por 3 estados. Ótimo tempo para ouvir muita música e dar uma atenção um pouco maior a algumas coisas que estavam no meu iPod esperando este tempinho de sobra. Vou falar brevemente de 3 bandas que conheci em 2011, tá certo que eu já poderia ter conhecido elas antes, mas o fato é que estou brigando contra minha preguiça para novidades, e daí vem o título deste post.

 

Jude Airplane, Hibernia e Velho Irlandês.

 

A primeira boa notícia é que a galera anda muito criativa com os nomes das bandas (ainda mais para quem já cantou em um grupo chamado “Chamas da Liberdade” – eu tinha 6 anos pessoal, relevem), os 3 nomes mereceriam explicações, mas não vou fazer isso agora.

 

Seguindo a ordem acima, a Jude Airplane toca um ska mesclando bem influências clássicas como Skatalites e The Clash, mas puxando mais para uma levada mais californiana como Rancid (na fase menos punk) e Sublime. Entre as 3 bandas é que coloca aspectos sobre fé Cristã de maneira mais clara nas letras, como na música “Fé”:

“Não por mim porque sou quase nada,

Mas pela minha fé, que é bem maior que eu…”

O grande destaque fica para o naipe de metais, coisa rara para bandas independentes, os metais fazem toda a diferença, preenchem cada espaço disponível e dão uma variação muito interessante aos arranjos. As linhas de baixo são bem criativas também, mas um ponto que eu colocaria como negativo é a praticamente onipresença de um timbre de guitarra de gosto um pouco duvidoso, fica cansativo ouvir o mesmo timbre em todas as músicas. Tenho que dar um desconto para a banda pois as músicas que recebi (através de contato com eles pelo twitter @judeairplane) são nitidamente versões demo, a sonoridade é bem “crua”, uma produção mais profissional pode resolver esta questão sem maiores dificuldades.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=U6jmNOxoMzw&feature=player_embedded[/youtube]

 

A banda Hibernia é de Aracajú, conheci o som deles pelo MySpace, e acabei até comprando  CD (que tem um trabalho de arte muito caprichado, por sinal) após trocarmos umas figurinhas pela net. Diferente da Jude Airplane,  o CD “A Vida Como Ela Era” já está no mercado é muito bem produzido. A influência mais nítida da sonoridade é o britpop, músicas altamente melódicas e radiofônicas, levadas que lembram bastante bandas como Keane, Coldplay (se a introdução de “Vaidade” não te lembrar “Clocks”, não sei em que planeta você passou seus últimos anos) e Travis. Além de ser um CD muito agradável de se ouvir, um destaque fica para a poesia das letras, vou deixar alguns trechos abaixo:

“Era pra levar a vida como ela era

Bela

Com sintomas de euforia, inocência

Pura

Com sinceridade de criança…”

De “A Vida Como Ela Era”

 

“Sonda e conhece-me

A ponto de ver se há algo errado em mim

Toca suave em mim

Diga onde devo ir…”

 De “Esses Olhos Seus”

 

Mas independente das letras, o CD tem umas levadas muito legais também, como “João” e “Quem me Dera”, vale muito a pena conhecer.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Fo9yFDPnSCM[/youtube]

 

A última banda desta leva é a Velho Irlandês, conheci este som há bem pouco tempo e ouvi bastante por esses dias. Entre as 3 bandas essa destaca-se por uma sonoridade pop muito radiofônica e bem resolvida, fiquei um tempo buscando referências e fui remetido a sons nacionais como Lulu Santos e Leoni, além de algumas levadas indie-dançantes como Strokes ou The Killers, porém com guitarras menos destacadas, em alguns momentos tanto os vocais quanto trechos de determinadas letras lembram a banda Pimentas no Reino (faz um bom tempo que não tenho notícias desses caras, conheci eles em um evento na Comunidade Cristã de Curitiba).

As letras são muito bem sacadas, mesclam coisas sobre relacionamentos, cotidiano e dão algumas dicas sobre a orientação espiritual da banda, exemplos:

 

“E ainda que eu nada dissesse
Você sabia o que eu diria
Sabia onde eu estaria
Te encontrar foi me encontrar
Um coração rasgado e aberto
É sempre tudo que eu tenho a te dar”

De “Japão e Geribá”

 

“Estando entre as pessoas nunca me senti

Assim como me sinto quando estou aqui

Ao seu lado conjugando as minhas frases pra Ti”

De “O Verbo”

 

O CD chama-se “Velho no Recreio” e é muito coeso, daqueles que você deixa rolar inteiro e fica com um gosto de quero mais, pois são apenas 8 músicas. Pelo que andei lendo a banda tinha outra formação com uma moça nos vocais, ficaram parados por um tempo e agora voltaram com um vocal masculino, mas confesso que não ouvi a formação antiga para fazer uma comparação.

[youtube]http://youtu.be/HHqt_u7Go9A[/youtube]

 

Por enquanto é isso, o objetivo hoje não é aprofundar-se muito, mas sim deixar as dicas e que cada um ouça e tire suas próprias conclusões. No mês de maio eu tenho mais viagens pela frente e pretendo voltar a escrever sobre novos (ou velhos) sons.

Fiquem na Paz.

 

Marlos.