Para assistir a “Noé”

Na tentativa de agradar a todos, Darren Aronofsky parece ter gerado ódio em ateus, cristãos, muçulmanos e cinéfilos.

Por Ricardo Alexandre em seu blog no portal MSN.

noe2Dia desses apareceu no tradicional Kibeloco e grassou as redes sociais, um engraçadíssimo review do filme Noé (de Darren Aronofsky, com Russel Crowe no papel principal), daqueles sem muita informação, feito para te deixar na dúvida se é fake ou real, apresentado como “isso que acontece quando o responsável pelas sinopses dos filmes é ateu” (veja abaixo).

A blague só veio a se somar ao fogo cruzado entre ateus contra cristãos, cristãos contra muçulmanos, muçulmanos contra a produção do filme, produção do filme contra o papa Francisco etc. Noé estreia no Brasil nesta quinta-feira 03 de abril, e uma parte razoável da polêmica (alimentada, claro, pelo departamento de marketing da Paramount Pictures) poderia ser resolvida com um pouquinho de informação sobre a história bíblica e sobre a história da interpretação bíblica.

(A outra parte da polêmica vai de Crowe tentando chamar a atenção do papa pelo Twitter à censura em países islâmicos por causa da representação física de personagens ligados ao Alcorão. Essa você precisa de mais do que um artigo em um blog para explicar).

O mais curioso é que, na tentativa de atrair os que têm fé e os que curtem um cinema-catástrofe, Aronofsky parece estar desagradando todo mundo.

Os cristãos, em especial, começaram nas redes sociais uma campanha pelo boicote do que chamam de “o filme bíblico mais antibíblico já feito”. Um blogueiro muito influente no meio evangélico reclamou logo após a pré-estreia que Crowe representou um Noé “muito mais para um psicopata do que para um profeta”, cheio de dilemas e sem a certeza inabalável daqueles que ouvem uma orientação divina.

noeA “sinopse escrita por um ateu”: não são só os descrentes que reclamam do filme

Os cristãos acusam Aronofsky de ter tratado o dilúvio como um cataclisma meteorógico banal, sem a leitura punitiva da narrativa bíblica. Ontem à tarde recebi um longo email em inglês dizendo que o filme é uma interpretação pagã e cabalística do relato presente no Gênesis. Na verdade, teólogos do mundo inteiro estão advertindo pastores e líderes para que desestimulem seus liderados a assistirem ao filme.

Durante sua rápida passagem pelo Brasil, Crowe tentou minimizar a polêmica, dizendo que “a Bíblia não entra em detalhes que são importantes para o desenvolvimento de um filme”, e que essas lacunas teriam sido respeitosamente preenchidas pelos roteiristas.

Na Bíblia, a história de Noé faz parte do Gênesis, livro normalmente atribuído a Moisés que revela o princípio das coisas, e o Deus por trás dela. Se foi realmente escrito por Moisés, então provavelmente ele o fez ou durante o período em que os israelitas eram escravos no Egito, ou enquanto eles peregrinavam sem muito rumo pelo deserto. A teologia atribui dois significados principais ao Gênesis: cuidar para que os israelitas não descambassem para o animismo ou o paganismo (daí a narrativa da criação, que mostra que o deus sol, a chuva, a água etc., todos haviam sido criados pelo “Eterno”) e mostrar a longa e obstinada trajetória do homem para longe do Criador. A história de Noé, você sabe, mostra Deus “se arrependendo” de haver criado a raça humana, totalmente entregue ao mal, e decidiu destruir tudo, com exceção de Noé e sua família.

Bem, você pode ler os três ou quatro capítulos de Gênesis dedicados a Noé com o mesmo olhar histórico de quem lê, digamos, os livros de Laurentino Gomes. Mas pode ter uma leitura crítica da história, e ainda assim ser um cristão.

“Leitura crítica” é um olhar trazido à tona especialmente pelo liberalismo teológico que crescia no século 19. Segundo os liberais, as histórias da Bíblia seriam verdade verdadeira, mas não necessariamente o tipo de verdade encontrada nos livros de história geral. São verdades espirituais, representadas por meio de histórias arquetípicas que passavam de pais para filhos desde tempos imemoriais. Assim, a história da Adão e Eva, por exemplo, seria a maneira como os povos primitivos encontraram para explicar o plano belo e perfeito de Deus, desobediência ao Criador, e o milenar dilema humano de render-se a seus desejos mais imediatos ou submeter-se à vontade de Deus. Homens feito de barro, seis dias de 24 horas e serpentes falantes seriam símbolos de verdades espirituais, e não elementos da história do homem. Não que sejam mitos, mas que a leitura simbólica importa muito mais do que discutir se são mitos ou não.

Claro que isso cheirava a confusão. Cristãos mais ortodoxos diziam que a leitura crítica era mais fruto do modernismo do que do cristianismo. A polêmica chegou a tal ponto que em 1910, uma convenção da igreja presbiteriana americana discernir o que seria fundamental ao entendimento teológico, e o que seria, digamos, “negociável”. Concluíram que os milagres de Jesus, seu nascimento virginal, sua morte expiatória e ressurreição e autoridade das Escrituras eram esses fundamentos. Foi daí que surgiu o termo “fundamentalista”.

Ainda assim é possível ser fundamentalista, nos termos acima, e acreditar que a história do dilúvio é uma compreensão espiritual de um cataclisma natural. Há relatos de uma grande elevação dos oceanos no Gilgamesh, no Alcorão e nos livros de história natural. Os que têm fé enxergaram a mão invisível do “Eterno” por trás dela, e a registraram a partir do conhecimento de mundo que tinham há cinco ou seis mil anos – hoje, por exemplo, sabe-se que essa elevação cobriu parte do mundo, não o mundo todo, mas possivelmente todo o mundo conhecido de então.

Aronofsky pensou nisso tudo? Improvável. Seus consultores teológicos tentaram chegar a uma leitura crítica dirigidos mais pela mão invisível do mercado do que a do Deus de Moisés? Eu arriscaria dizer que sim. O filme pode ser uma bomba independentemente das questões religiosas? Tenho ouvido testemunhas garantindo isso.

Seja como for, a mensagem é essa: vá conferir Noé movido pela fé no cinema.Depois compartilhe suas impressões na área de comentários.

Homem 2.0

Talvez esse é o ano que eu mais tenho visto o nome Deus e Família nos noticiários. Até cansou esse papo de Religião vs Politica, Religião vs Direitos Humanos e Religião vs Ciência. Tentar entender essa guerra é uma tarefa difícil. Quem sabe caiba pra um dos 12 trabalhos de Hércules! Acredito que um dos lados dessa guerra ia adorar que um deus grego resolvesse essa parada, porque eles são avessos apenas às religiões monoteístas surgidas no oriente médio. Porque tanto ódio quanto essas religiões e uma certa idolatria ao “paganismo” europeu ou aos cultos afros? Essa resposta não tenho! Talvez C. S. Lewis….

“Espanta-me que você ainda me pergunte se é mesmo essencial manter o paciente na ignorância quanto à nossa existência. (…) Nossa política, no momento atual, é de nos mantermos ocultos. (…) Tenho grande esperança de que, no devido tempo, aprenderemos como tornar a ciência dos homens emocional e mítica a ponto de passarem a desconfiar daquilo que na verdade é a crença em nossa existência (embora não sob esse nome) ao mesmo tempo em que suas mentes se mantêm fechadas para o Inimigo. A “Força da Vida”, a veneração do sexo e outros aspectos da Psicanálise podem ser bastante úteis nesse sentido. Se pudermos produzir nossa obra perfeita – o Mago Materialista, o homem que não apenas utiliza, mas que na verdade venera aquilo a que dá o nome de “Forças” ao mesmo tempo em que nega a existência de “espíritos” – . então saberemos que a batalha chegará ao fim.”

Cartas de um Diabo a seu aprendiz

Mas quero abordar outro ponto, porque tanto ódio dos “mais letrados” à religião?

Tudo isso começa em uma ideia surgida a uns 150 anos, a ideia que estamos evoluindo….

Antes de continuar meu argumento, preciso colocar uns pingos em uns is. Acredito na evolução. Acredito que na minha genética tenho antepassados que são os mesmo antepassados de um orangotango. Isso não entra em nenhum conflito com minha fé cristã protestante reformada! E não é esse ponto que quero discutir!

A grande questão é o tempo verbal: evoluímos ou estamos evoluindo?

O “estamos evoluindo” é o pressuposto comum entre quase todos acadêmicos materialistas do Brasil. O homem está passando de uma versão 1.0 para uma 2.0. Isso gera os atritos, as discussões, o ódio ao que significa ser o homem 1.0.

[tube]http://www.youtube.com/watch?v=aDaOgu2CQtI[/tube]

Mas o que seria esse homem 1.0?

Muitos defendem que o homem precisa tirar a roupa do velho homem: a religião, o misticismo, o ódio, o pre-conceito, etc… Acredito que nem esses próprios (homens evoluídos) sabem direito o que isso significa. Só sabem de uma coisa, precisamos aposentar o discurso conservador e tomar uma atitude mais progressista. É muito interessante observar as palavras que são usadas. Qualquer indicio de uma cosmovisão cristã significa ser conservador. Qualquer indicio de abolir coisas como certo-errado, ou a ideia de pecado, significa ser progressista. Fico me questionando: progresso de que? Significa que estamos trilhando um caminho?

A outra ideia é a que evoluímos. Nossa genética foi forjada como primata. Somos primatas. Mamamos, temos pelos (alguns muitos e outros poucos), temos necessidades fisiológicas, somos animais! Mas há algo que nos difere dos outros…

Definir o que é isso acredito que nenhuma ciência humana vai saber a resposta. Para um mero materialista, somos feitos da mesma coisa que um cachorro morto… isso explica porque damos mais valor aos animais do que à homens que não conhecemos.

Segundo a teologia cristã, há uma definição clara e pontual: imagem e semelhança de Deus. Isso nos difere de todos os outros animais (então não pense que você pode sair matando eles, a primeira ordem de Deus foi para você cuidar do jardim d’Ele!).

Então fico pensando com meus botões que sim, evoluímos e nossa genética continua evoluído. Vamos vencer a AIDS, câncer, diabetes, e outras doenças. Se não fizermos isso com um improve no nosso sistema imunológico, vamos criar drogas para isso. Mas isso todos os animais estão fazendo…. Em relação ao que nos difere dos outros animais, estamos ainda no Gênesis 3: a queda do homem!

Sempre fomos assim, sempre tivemos ódio, sempre tivemos diferenças sociais, sempre oprimimos outros homens. Sempre… Devemos assumir de quem é a culpa de todos os males que há na terra. Não é do Sistema Capitalista, um sistema não massacra o homem, homens massacram homens. A culpa não é da Religião, a religião não oprime o homem, homens oprimem homens. A culpa não é da politica, a politica não corrompe o homem, o homem corrompe a si mesmo. A culpa não é do dinheiro…. Como diria Homer Simpson, “a culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser”! Quer ler mais sobre essa ideia que sempre fomos o que somos, leia “O Homem Eterno” de G. K. Chesterton.

E aonde eu quero chegar com esse texto?

Minha geração tinha um sonho: mudar o mundo! Esse sonho é bobo! Nunca conseguiremos isso… Eu realmente acreditei nisso, mas agora vejo impossível. Já tinha desaprendido a sonhar, quando me voltei ao cristianismo. Achava que a caminhada cristã era esperar o céu, vivendo mediocremente na terra. Felizmente eu estava redondamente enganado!

A ideia de céu é uma coisa que só alcançamos quando deixamos a terra é uma ideia grega. Um judeu do primeiro seculo não era dicotomista, ele acreditava em um céu que vinha até a terra. Quem sabe um Reino, ou uma Cidade preparada desde o principio (Ap 21).

Depois refletindo, vi que nosso dito mestre foi embora e nos deixou uma ordem clara: vocês são meu reino! Esse reino já está implantado, e vocês tem que expandi-lo até a volta do Rei. E quando esse Rei voltar, o Reino será pleno!

Hoje eu estava pensando nisso, em quando minha geração perdeu esse sonho de mudar o mundo….

“Ele ganhou dinheiro
Ele assinou contratos
E comprou um terno
Trocou o carro
E desaprendeu
A caminhar no céu
E foi o princípio do fim”

Os Paralamas do Sucesso

[tube]http://www.youtube.com/watch?v=9JvSfIDNb4Y[/tube]

A resposta é a diferença entre Elfos e Homens

Domingo de manhã já acordo com o peso na consciência de não estar na igreja. Isso tem sido rotina em minha vida, mas desde que comecei a ler e estudar sobre teologia, a EBD tem sido enfadonha. A maioria dos nosso professores criam o conhecimento do nada. Eles estão embalados pela “nova” doutrina do Espírito Santo, ressuscitada no século XX, de que não é necessário a capacitação, o espírito trará o conhecimento. Bom, não concordo muito com isso (também não discordo totalmente), ainda fico com os muitos anos que Paulo ficou na “geladeira”, com os 30 anos (na verdade foram bem mais) que Jesus esperou para começar seu ministério. Resumindo, quem se dedica a estudar consegue ver com mais clareza.

E é clareza que falta no domingo pela manhã no facebook! Antes de continuar o texto, vou-lhes mostrar o vídeo que vi!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=VkCOGHOMsxM[/youtube]

É impressionante acreditar que isso é um debate de dois pontos de vista. Tento com todas minhas forças ver assim, mas no fundo é um debate acalorado sobre a fé irracional de dois grupos distintos de materialistas! Consegue ver assim?

Explicando…

Vamos com calma! Alguns anos atrás eu também não entenderia. Mas é preciso colocar em pratica aquilo que lemos, aplicar na nossa vida cotidiana, renovando a mente.

Primeiro quero definir o que é materialismo, depois eu chego nos Elfos! Desculpe-me por usar a wikipedia, mas não acho justo ligar para meus amigos das Ciências Humanas e Filosofia domingo pela manhã….

Da wikipedia, Materialismo é:

Em filosofia, materialismo é o tipo de fisicalismo que sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações materiais; que a matéria é a única substância.

Não sei se é possível compreender a definição, mas o que ela diz é que um materialista acredita que tudo é matéria e não há nada além da matéria.

Pensando sobre esse assunto e analisando nossas aulas de EBD, vejo que muitos dos nossos professores são essencialmente materialistas. Acreditam em um deus, mas o colocam como matéria. Não quero lhe forçar minhas convicções sobre esse assunto, prefiro que você chegue as suas próprias conclusões, analisem o que ouvem.

Mas voltando ao vídeo. Se analisarmos bem, os dois lados são materialistas. O pastor e o padre preferem desmerecer o texto bíblico a rebater o argumento do ateu. Porque isso? Porque TODOS eles acreditaam que a morte é o fim de tudo! Se pensarmos que a morte é o fim de tudo, acreditamos que tudo é material, e quando acaba a matéria acaba tudo! Mas será assim mesmo? Se Deus me levar hoje, isso seria extremamente triste pra minha namorada, e para minha família. Mas e do ponto de vista d’Ele? Isto seria um ato de maldade?

Seria muita pretensão minha responder essa pergunta, temos 20 seculos de pensadores cristão que deve ter, em algum momento da vida, pensado sobre isso. Com certeza, eles tem respostas melhores que a minha! Por isso escolho J. R. R. Tolkien, que apesar de não ter escrito teologia como teologia, deixou ela clara na sua obra. Só trocarmos os nomes e vemos que o que ele fez foi aplicar sua leitura da bíblia em uma pseudo-mitologia. Em O Silmarillion ele explica bem a questão materialista:

Inclui-se, nesse dom de liberdade, que os filhos dos homens permaneçam vivos por um curto intervalo no mundo, não sendo presos a ele, e partam logo, para onde, os elfos não sabem. Ao passo que os elfos ficam até o final dos tempos, e seu amor pela Terra e por todo o mundo é mais exclusivo e intenso por esse motivo e, com o passar dos anos, cada vez mais cheio de tristezas. Pois os elfos não morrem enquanto o mundo não morrer, a menos que sejam assassinados ou que definhem de dor (e a essas duas mortes aparentes eles estão sujeitos); nem a idade reduz sua força, a menos que estejam fartos de dez mil séculos; e, ao morrer, eles são reunidos na morada de Mandos, em Valinor, de onde podem depois retornar. Já os filhos dos homens morrem de verdade, e deixam o mundo, motivo pelo qual são chamados Hóspedes ou Forasteiros. A morte é seu destino, o dom de Ilúvatar, que, com o passar do tempo, até os Poderes hão de invejar. Melkor, porém, lançou sua sombra sobre esse dom, confundindo-o com as trevas; e fez surgir o mal do bem; e o medo, da esperança. Outrora, no entanto, os Valar declararam aos elfos em Valinor que os homens juntarão suas vozes ao coro na Segunda Música dos Ainur: embora Ilúvatar não tenha revelado suas intenções com relação aos elfos depois do fim do Mundo; e Melkor ainda não as tenha descoberto.

Bom, se você ainda não entendeu vou deixar mais claro. A morte é um dom que nos liberta para verdadeira vida! Então esse argumento bobo de que Deus é mau por ter matado muitos na história é falho. Não deveríamos questionar as mortes, mas o nosso julgamento de valor sobre elas. Deus ter matado crianças no antigo testamento faz dele mal?

Para os ateus, e sua visão limitada ao materialismo sim! Mas para o cristão, que além de acreditar em tudo que um materialista acredita e mais no sobrenatural, não! Tudo depende da sua cosmo visão, mas o que vemos  no vídeo são dois grupos com pessoas que possuem a mesma cosmovisão: tudo se limita ao material!

Expandindo o argumento

Ainda dá para pensarmos mais sobre materialismo. Outro dia saiu uma noticia na Folha sobre uma entrevista em que Richard Dawkins afirmava “Não devemos respeitar crenças contrárias ao consenso científico“. A grande questão é: o cristianismo é contra o consenso científico?

Primeiro devemos limitar o que se refere o consenso científico. A ciência é um método para validar conceitos materiais. Ela não se aplica ao imaterial! Até mesmo os estudos recentes da física moderna, sobre a matéria e sua relação com a energia, são conceitos desse mundo  material.

Mas devemos lembrar que Dawkins é um biólogo, provavelmente ele está falando da evolução, logo vamos partir pra biologia.

Deus me deu o privilégio de, por meu esforço próprio, ficar 6 anos (e ainda moro ao lado) em uma das maiores universidade do Brasil. Há grandes pesquisadores fazendo e pensando ciência poucas quadras da minha casa. Convivi também com o conceito de universidade, ao contrário de muitos dos meus amigos estiveram em uma universidade, mas não fizeram nenhuma matéria fora do currículo base deles. São engenheiros, filósofos, advogados. Eu pude dialogar e conviver (muitas vezes por morar juntos, pois tive que sair da casa dos meus pais e morar com até 17 pessoas em uma casa!) com pessoas de outras realidades acadêmicas. E fui obrigado a fazer matérias de todos os ramos do conhecimento.

Meus diálogos com pessoas da biologia foi muito proveitoso, pois pode observar que existem biólogos cristãos evolucionistas que acreditam no Gênesis exatamente como ele está escrito!

Então Moisés e Darwin são brothers?

É tudo obra de alguém que conhece todos os processos? Ou de um grande mágico?

É tudo obra de alguém que conhece todos os processos? Ou de um grande mágico?

Sim! A minha conclusão sobre conviver com muitos biólogos é que se olharmos cientificamente e culturalmente para o Gênesis, vemos a descrição da evolução, conforme é creditada pela ciência, descrita por Moisés. Lembre-se que Moisés era um pastor de ovelha que viveu no Oriente Médio no século XV antes de Cristo!

Essa afirmação pode parecer bombástica, mas não é! O grande problema é que a maioria dos nosso pastores e teólogos não estudam biologia. A maioria dos nosso biólogos criacionista estudam biologia apenas para provar que Darwin estava errado. E a maioria dos nosso biólogos evolucionistas ateus, estudam biologia com intuito de provar que deus está errado. Todos esses grupos tem interesses bem definidos e num deles está atrás do que realmente aconteceu, mas apenas quer desmascarar outro grupo!

Se usarmos a abordagem de diferenciar o materialismo no argumento, da mesma forma que usei com o vídeo, podemos observar ao que o argumento materialista se propões e ao que o argumento cristão se propõe.

Darwin quis descrever como o mundo materialmente foi criado e como as espécies evoluíram. Se ele era materialista ou se seus discípulos são materialistas, estes devem se ater ao argumento materialistas! Se há evolução, ela é prova de que não existe Deus? Não!!!

Os cristãos devem acreditar no argumento materialista, pois ele explica a matéria.  Mas devem crer que suas crenças vão além da matéria. Sim! Pode ter existido Evolução, Big Bang, etc… Mas e se tudo isso foi confeccionado e arquitetado por uma inteligência superior? Por um Deus? Essa é a resposta do cristianismo aos Elfos que não tem uma perspectiva de vida acima do sol.

Mas infelizmente muitos dos nosso professores são materialistas…

Seria Deus a imagem de um velho Xamã?

Seria a imagem de Deus um velho Xamã?

Se perguntarmos: Como é Deus? Muitos desenharão um senhor idoso com cara de bonzinho. Isso somente prova que somos materialistas. Podemos desenhar Deus? Podemos limitar ele a uma representação carnal? Até podemos, mas aquilo deixará de ser Deus ser será uma representação de Deus!

Aí podemos pensar: “Mas somos feitos imagem e semelhança d’Ele“! Sim, concordo absolutamente com a afirmação. Mas não sou materialistas. Não acredito que Deus tenha duas mãos, até porque todo e qualquer homem que não tenha um braço (e olha que já vivi alguns meses com essa perspectiva) não será a imagem de Deus. A grande questão é: Qual a imagem de Deus no homem, visto que somos muito mais do que apenas carne?

Quem escreveu o Gênesis caminhou pela terra durante a criação. Ao lado de Deus quanto ele explicava: “Vimos que tudo era belo”! Há uma grande afirmação teológica aqui que é supra-material e não é levado em conta, nem pelos materialistas e nem pelos criacionistas! Deus é único e plural sem se contradizer! Não estou dizendo que ele é esquizofrênico! Estou dizendo que ele tem a capacidade de ser relacionar consigo mesmo e ser um ao mesmo tempo que é Criador (Pai), Salvador (Filho) e Consolador (Espírito Santo) ao mesmo tempo!

Muitos de nós não pensamos sobre isso. Aceitamos que Deus é trino. Aceitamos que Deus tem duas orelhas. Mas Deus tem duas orelhas? Questionar sobre o que é ser imagem e semelhança, é errado? Questionar é aceitar ter uma fé fraca?

Questionar não é uma falha de fé! Questionar é ter a fé de que das dúvidas há uma resposta lógica. Uma resposta que além da razão ela será respondida com a  fé. A Fé e a Razão nunca deve estar em lados diferentes de um ringue. Elas devem estar no front de batalha contra a dúvida. Se ficarmos com a duvida é porque não temos fé que a nossa Fé possa responder nossas dúvidas!

Mas e a reposta?

A reposta pra imagem e semelhança está na conjugação do verbo e não no verbo!

Deus não é UM velhinho! Deus é um Criador que se relaciona com um Consolador e com um Filho. E que criou o homem e deu a ele o poder de se relacionar, de criar, de consolar e de precisar ser consolado! Deu nos o poder de ser como Deus! E que o homem escolher ser igual a Deus, de conhecer o bem e o mal. Escolheu a cada dia praticar humilhar o próprio Deus humilhando a imagem dele no homem.

Esse argumento os ateus não conseguem racionalmente explica: a origem do mal, e porque o homem busca o bem….

Deixo em aberto, porque há mais perguntas que respostas…

Enquanto nós dormíamos

Se não fosse pelo Papa, não haveria outro assunto! Essa semana estará marcada como a semana que os cristãos lamentaram que um cristão assumiu a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

A maioria de nós tem enormes motivos de sobra para nos envergonhar dessa geração marcada pela corrupção, confrontamento e materialismo. Observe bem, se envergonhar dessa geração, não do evangelho!

Pensando nessa situação fico questionando, como chegamos aqui?

Somos omissos

Martin Luther King Jr não se conformou com o mundo que vivia....

Martin Luther King Jr não foi omisso…

Muitos cristão se julgam donos da verdade, e fazem questão de joga-lá na cara dos seus “opositores”. Mas se esquecem que muitas grandes verdades estão sendo distorcidas ao nosso lado. Quando não nos opomos a comportamentos dos nossos irmãos, dizemos veladamente que concordamos com tal, assim nos tornamos coniventes.

Somos coniventes com o materialismo das nossas músicas e das nossas pregações!

Somos coniventes com o esquecimento e o massacre do pobre!

Somos coniventes com a destruição da criação (mais conhecida pela natureza)!

Somos coniventes com a corrupção em nome de um pseudo-cristo.

Somos coniventes com o nepotismo entre os irmãos.

Somos coniventes com o lucro exagerado.

Nós somos coniventes de uma série de pecados cometidos por nós mesmo. Não temos autoridade para apontar o dedo para ninguém fora do nosso gueto, mas mesmo assim fazemos….

Somos consumidores

É muito facil achar criticas ao grandes apóstatas do evangelho. Edir Macedo, Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, R. R. Soares, casal Hernandes, e etc… Eles não falam a mesma língua que a maioria… será?

Quando ligo meu radinho gospel, vejo uma sopinha rala daquela canja que é servida por esses nomes. O que estou dizendo? Esses grandes da mídia são apenas caricaturas do que é consumido diariamente por milhões de cristãos todos os dias! Um evangelho placebo, um evangelho materialista, um evangelho que esquece o mundo, ou um evangelho que é só do mundo. Isso é fruto de um crescimento sem qualidade nos últimos 20 anos. Pregou-se exageradamente o evangelho, mas esqueceu de alimentar esses bebes recem-nascidos! Eles cresceram e hoje não sabem o que é um bom alimento! Acreditam que a literatura de auto-ajuda pseudo-cristão que é largamente vendida é realmente boa!

Francis Schaeffer falou no Verdadeira Espiritualidade que a centralidade do evangelho é a morte, mas o evangelho é para era presente. Se pensamentos como esses não estão na mente, logo é preciso você rever seus conceitos!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=S77aoOfTAzA[/youtube]

Abdicamos da Política

Quando foi a ultima vez que você viu cristão discutindo políticas? Não estou falando de Política partidária, estou falando de política mesmo! Se devemos ser contra, ou a favor do código florestal? Se políticas de inclusão social de nossas cidades estão funcionando? Etc… Não fazemos mais isso! Tudo que fazemos é delegar para os partidos. Como aquela vídeo infeliz que um pastor soltou na eleição de 2010, demonizando um partido em função do outro. Seria o outro partido completamente santo pra ter tal confiança? Quais eram as intenções daquele pastor com o vídeo? Ele não discutiu, apenas tratou seu povo como gado!

Abdicamos do Pensar

Marina Silva é bem clara: somos partidarista e não programáticos! Todos que estão do lado do Silas Malafaia e do Marco Feliciano o fazem não porque suas ideias são as melhores, ou porque concordam com as bandeiras deles. Estão do lado deles porque eles defendem a nossa causa!

Mas… Qual a nossa causa? Nossa causa é lutar contra os direitos dos homossexuais? Nossa causa é proibir o aborto? E se Jesus vivesse hoje, seria essa a bandeira levantada por ele? Todos os grande intelectuais do cristianismo discordam.  Mas aí você pode até citar o que o Malafaia sempre cita: é bíblico. Você já se perguntou: é bíblico mesmo?

Tristemente vejo as pessoas acreditando nessas falácias sem parar para pensar. Sempre que vemos um argumento “bíblico” devemos validar se era isso mesmo que o autor queria dizer, se o contexto que o texto está autoriza essa interpretação, etc… Não posso eu dizer que tudo que eu entendo de qualquer parte do texto que está ali é valido. Agindo assim estou apenas arrumando argumentos para minhas ideias, e não procurando a verdade do texto.

Mais…

Ainda há muito mais o que pensar sobre o assunto. Mas a culpa de todo esse confrontamento que estamos sofrendo não é do movimento gay, ou dos ateus, ou dos neo-pentecostais picaretas. A culpa é de todos nós! Enquanto não assumirmos essa luta, não veremos o Reino se expandir. Não estou falando de lutar contra esses confrontamentos. Estou falando que Direitos Humanos é uma criação do cristianismo. É invenção nossa, é marca nossa, fora de Jesus não há direitos humanos. Mas é o que vemos….

Dicas de Leitura

Os bons exemplos do cristianismo atual e na politica brasileira

“Compromisso com os pobres como consequência da fé”

“Nossa oração é que exemplos históricos como os do Pr. Martin Luther King Jr., do Rev. Jaime Wright e do Bispo Desmond Tutu possam inspirar e servir de referência para a atuação dos vários parlamentares evangélicos na CDHM, levando-os a se posicionar ao lado dos que sofrem injustiças.”

A carta aberta de pastores que acaba ajudando aqueles que nos odeiam; Pr. Silas comenta

“Você sabe porque eu visto preto?” Johnny Cash

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Fgxo2OOzsx4[/youtube]